Saúde

Acne

Por se tratar de um problema de saúde relativamente benigno, a acne pode causar um estrago emocional e psicológico devastador!

Acne vulgaris é o nome científico para a doença mais comum em qualquer consultório dermatológico, e o problema estético mais frequente entre jovens — e alguns não tão jovens.

A acne é caracterizada por lesões de pele, ora obstrutivas (comedão aberto, comedão fechad0), e ora inflamatórias (pápulas, pústulas, nódulos). Ela pode acometer quase qualquer região da pele, porém é mais comum no rosto, tórax, e dorso.

O que causa a acne?

Muitos são os mitos e as crendices em torno da acne. As causas da acne são razoavelmente bem compreendidas, embora haja ainda muito que se descobrir em termos de fatores de agravamento. A acne se desenvolve a partir de um processo de uma infeliz confluência de quatro fatores concomitantes: Aumento na produção sebácea normal, hiperproliferação do revestimento do folículo sebáceo, irritação e proliferação da bactéria Propionobacterium acnes, e um processo inflamatório fisiológico.

Ainda não se encontrou “cura” para a acne, e tampouco há consenso sobre um tratamento æ “ideal”. Não obstante, há diversas boas opções, e os tratamentos podem ser individualizados caso a caso: usualmente envolvendo antibióticos sistêmicos (orais) ou tópicos (creme ou pomada), retinóides sistêmicos ou tópicos, e peróxido de benzoíla tópica.

Há também cuidados específicos para tratamento e para profilaxia (prevenção), e ainda considerações dietéticas, algumas mais e outras menos importantes, que podem afetar a acne.

Mas tudo isso debulharemos em detalhes em postagens futuras.

Será que chocolate piora a acne?

Proteção Solar

SOL: o amigo e o inimigo da pele!

Antigamente, o maior sinal físico de status social elevado era o tom branco da pele, que sinalizava para qualquer interlocutor que ali estava uma pessoa que não trabalhava exposta ao sol! A preocupação com uma complexão clara era tamanha que utilizava-se, homens e mulheres, pós e maquiladores em grande profusão, alguns com base em arsênico e chumbo, causando às vezes intoxicações crônicas.

Desde o ínicio do século XX, com a crescente presença da mulher no mercado de trabalho, e com a revolução industrial já sedimentada, o trabalho das classes menos favorecidas migrou do campo para as fábricas e os escritórios. Assim, passar tempo ao ar livre deixou de ser uma exigência laboral para se tornar um luxo prazeiroso mais acessível às classes abastadas, e a pele bronzeada tornou-se marca de elegância e fineza.

Num país tropical com o Brasil, nada mais fácil e atraente que um dia ensolarado na praia!

Mas toda essa exposição solar tem seu custo. Além dos óbvios riscos de saúde, como Câncer de Pele e alguns tipos de Distúrbios Fotosensíveis, há o peso do que chamamos “foto-envelhecimento”. Exposição Solar prolongada e crônica aumenta os riscos para o surgimento precoce daqueles sinais de envelhecimento precoce como rugas,  pés-de-galinha, bigodes chinês, etc.

Sem dúvida, esse é um tema muito importante, tanto do ponto-de-vista de saúde pessoal como de estética. Portanto, pretendo elaborar no assunto em outras postagens. Mas aqui vão as considerações mais importantes:

1) O melhor protetor solar é a prevenção. Evitar expor-se nos horários de pico-de-radiação ultra-violeta é o ideal.

2) O segundo melhor protetor solar é a roupagem. Chapéus, bonés, guarda-sóis para os horários-de-pico, e óculos escuros (com proteção UVA 320-400 nm e UVB 280-320nm). Para exposição prolongada, como passeios de dia inteiro, dê preferência para roupas e chapéus com materiais FPS-específicos.

3) Em terceiro lugar, e muito útil no dia-a-dia da pessoa moderna, é o famoso “bloqueador solar”. Qualquer FPS entre 20 e 30 já esta ótima para exposições rotineiras, desde que aplicados 15-30 minutos antes da exposição e reaplicados a cada 2-3 horas.

Quais protetores são melhor? Por que a luz solar acelera o envelhecimento? Se usar protetores direto, posso desenvolver deficiência de Vitamina D? Esses e outros tópicos discutirei posteriormente.